sexta-feira, 28 de maio de 2010

Ariano Suassuna e Quinteto Violado.


O Educativa nas Letras deste fim de semana traz para você um especial sobre a vida e a obra de um dos maiores mestres da literatura brasileira de todos os tempos: Ariano Suassuna. Autor de peças consagradas, como "O Auto da Compadecida" e "O Romance da Pedra do Reino," mestre Suassuna resgata em sua obra os expoentes da cultura nordestina - evidenciando também a força das tradições do povos ibéricos na cultura do nordeste. Exemplo disso é o tema da já citada obra "A Pedra do Reino," no qual se mostra que a crença portuguesa na imortalidade e na volta do rei português Dom Sebastião (morto na famosa batalha de Alcácer-Quibir, em Marrocos, no final do século XVI) foi transportada pelos colonizadores portugueses ao sertão nordestino - passando tal lenda a ser vivida também pela gente do nordeste, vindo a configurar-se como parte de sua cultura.

A parte musical desse especial sobre Ariano Suassuana que o Educativa nas Letras apresenta neste sábado - às 10 da manhã - e na reprise de domingo - às 21 horas - só poderia também recuperar a beleza da música nordestina. Assim, o programa sobre mestre Ariano Suassuna tem como trilha musical o delicioso som do grupo Quinteto Violado.


Você não vai poder ficar fora dessa!

quarta-feira, 26 de maio de 2010

OPUS4 E EDUCATIVA NAS LETRAS NA VIRADA CULTURAL!

O Quarteto OPUS4 e a equipe do Educativa nas Letras apresentaram-se nesse último domingo pela manhã, no Parque do Povo, em Piracicaba. O evento, intitulado "Concerto Literário," fez parte da programação da primeira Virada Cultural Paulista ocorrida em Piracicaba. Na ocasião, as apresentadoras do Educativa - Lucila Maria Calheiros Silvestre e Carmelina de Toledo Piza - contaram histórias e leram para o público, entre uma música e outra, textos que comentavam sobre os compositores das peças executadas pelo quarteto.
Numa maravilhosa manhã ensolarada, o bom público presente pode curtir, em pleno parque, composições de Haydn, Mozart e Handel - além de se deliciar também com obras de caráter mais popular, apresentadas pelo OPUS4.

Prestigiando o evento, o prefeito de Piracicaba - Barja Negri - abriu o evento, parabenizando a equipe do Educativa nas Letras e o OPUS4 pela belíssima atividade cultural que se realizaria. Barjas intimou o OPUS4 e o Educativa nas Letras a tomarem parte das festividades de inauguração da nova Biblioteca Pública de Piracicaba - programada para acontecer no mês de agosto.

A imprensa piracicaba também esteve por lá, cabendo registrar aqui a presença de Kal Mattus, do programa "Perambulando", de Heitor Amílcar, da "Jacintha Editores", e de Rodrigo Alves, do "Jornal de Piracicaba" (e do blog "Dando Nota").

Abaixo, curta um rápido vídeo da apresentação do OPUS4. E no canto esquerdo deste blog você pode ver mais fotos do evento.
Confira!
-------------------------------------------------------------------------------------------------
(Para ver mais fotos e ler outros comentários sobre essa apresentação, acesse também os blogs da Jacintha Editores e do Dando Nota - linkados também no canto esquerdo desta página, na lista dos blogs que indicamos).
video

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Carla Ceres Especial no Educativa!

Poeta, contista, dramaturga e ensaísta - Carla Ceres pode ser seguramente apontada como um dos grandes nomes da literatura do interior paulista. Nascida em Ibitinga, mas piracicabana de coração (tendo mudado-se de Ibitinga, com a família, quando ainda era criança), Carla ganhou vários prêmios literários pelo Brasil, em Portugal e nos Estados Unidos. Já foi também jurada de muitos concursos literários e possui trabalhos publicados em vários jornais e coletâneas do Brasil e do exterior. É autora do CD de poesia (premiado!) intitulado “Algo Além dos Livros.” De quebra, é formada em Letras, estudou literatura na Inglaterra e é membro da Academia Piracicabana de Letras! ...Ufa!... Precisamos dizer mais? Então, confira abaixo uma das preciosidades dessa grande escritora.

Poema Subterrâneo.

Somos os homens da noite,

Da densa noite das tocas

Onde o minério se esconde.

Somente a nós se permite

Esta visão da montanha:

Montanha vista por baixo,

Menos vista que sentida.


Somos os homens do medo

Mineralmente gravado

Em nossos pulmões de pedra.

Somente a nós se permite

O silêncio mais perfeito:

O silêncio com que as rochas

Preparam desabamentos.
-----------------------------------------------------------------------------------------
O especial com Carla Ceres vai ao ar neste sábado (às 10 da manhã), com reprise no domingo (9 da noite).

Você não vai poder perder!

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Programação da Virada Cultura em Piracicaba!

Sábado e domingo, dias 22 e 23 de maio, tem Virada Cultural em Piracicaba! A programação completíssima do evento você pode conferir no BLOG da Biblioteca Pública Municipal (clicando no link localizado na lista de blogs que indicamos). Abaixo, você confere um roteiro de sugestões que o EDUCATIVA NAS LETRAS elaborou para você. Programe-se!
-------------------------------------------------------------------------------------------------
Sábado

18h – Orquestra Piracicabana de Viola Caipira [CULTURA POPULAR]
A orquestra foi formada em 2005 para reforçar a tradição da cultura caipira na cidade de Piracicaba, difundindo a música de raiz, cujos principais temas são a terra, a natureza e os animais. Causos e lendas são cantados e contados com o irresistível sotaque do interior.
Local: Teatro Municipal

•19h30 – Orquestra Brasileira de Música Jamaicana [MÚSICA]
Música brasileira com o gostoso balanço dos ritmos jamaicanos de raiz: ska, rocksteady e early reggae. No repertório, chama a atenção animada versão de “O Guarani”, de Carlos Gomes, e de outras músicas como “Águas de Março”, “Barquinho”, “Samba de Verão” e “Garota de Ipanema”. A OBMJ vai além e faz do choro um ska em “Carinhoso”, de Pixinguinha, e “Ticotico no Fubá”, de Zequinha de Abreu.
Local: Engenho Central

21h – Lu Garcia [MÚSICA]
A cantora e compositora piracicabana é dona de uma voz quente, de afinação impecável. Para a Virada Cultural Paulista 2010, ela apresenta – acompanhada por Eloy Porto Neto, Fernando Nogueira, Maicon Araki e Otiniel Aleixo – um show composto pelo melhor da música popular brasileira.
Local: Engenho Central

22h30 – Yann Tiersen [MÚSICA]
os 39 anos, é um músico de vanguarda, multi-nstrumentista ecompositor francês de origem judaica. Compondo para piano, acordeão e violino, sua música aproxima-se de Erik Satie e do minimalismo deSteve Reich, Philip Glass e Michael Nyman. Tornou-se internacionalmente conhecido ao compor trilhas sonoras de filmes, como “Adeus, Lenin!” e “O Fabuloso Destino de Amélie Poulain”, pelo qual ganhou o prêmio francês Cesar de Melhor Música Composta para Filmes, em 2002.
Local: Teatro Municipal

•0h – Paralamas do Sucesso [MÚSICA]
Os Paralamas do Sucesso apresentam seu novo trabalho, “Brasil Afora” – o primeiro disco de canções inéditas da banda em quatro anos. Herbert Vianna, Bi Ribeiro e João Barone fazem pop, reggae e rock à brasileira e mostram que o tempo está em seu favor!
Local: Engenho Central
-------------------------------------------------------------------------------------------------
Domingo

•10h às 11h30 – Concerto Literário – Participação do programa “Educativa nas Letras”, com o Quarteto de Cordas OPUS4!

Os participantes do programa de rádio “Educativa nas Letras” estará formando uma roda literária com apresentação comentada de textos, poesias e dos respectivos autores.

Entre um texto e outro haverá a apresentação do quarteto de cordas com músicas clássicas podendo também este quarteto acompanhar as leituras e narrativas.

Fazem parte do programa Educativa nas Letras: Alexandre Bragion, Carmelina Toledo Piza e Lucila Maria Calheiros Silvestre.

Junto a esta apresentação estará havendo uma banco de troca de livros organizada pela Biblioteca Pública Municipal.

Local: PARQUE DA RUA DO PORTO, JUNTO AO “ÔNIBUS BIBLIOTECA

•14h – Batuque de Umbigada Casa do Batuqueiro [CULTURA POPULAR]
O projeto apresenta uma tradição cultural centenária, oriunda dos negros do interior paulista, que se mantém viva até hoje nas cidades de Piracicaba, Tietê, Capivari e Rio Claro. O Batuque de Umbigada a dasfestaç Rio a, oriunda LAR]inspirou o samba e outras manifestações culturais ocorridas em São Paulo.
Local: Engenho Central

•15h – Corda Solta [MÚSICA]
Um grupo integrado por músicos da cidade de Piracicaba. que tem por objetivo divulgar a nossa MPB, sobretudo os gêneros do chorinho, samba da velha guarda e seresta. É formado por Marcus Godoy (violão sete cordas), Rafael Barros (cavaquinho e bandolin), Augusto Cesar Vecchini (instrumentos de sopro), Vladimir Quintino (percussão e voz) e José Donizete de Godoy (violão).
Local: Lanchonete do Sesc

•17h – Toquinho [MÚSICA] O paulistano é referência na MPB e tem 80 discos gravados, 400 músicas compostas e cerca de 6.000 shows realizados pelo Brasil e exterior. Parceiro de nomes consagrados, tais quais Vinicius de Moraes, Chico Buarque, Paulinho da Viola e Jorge Ben Jor, o cantor apresenta ao público alguns de seus maiores sucessos, como “Aquarela”, “Tarde em Itapuã”, e “Na Tonga da Mironga”.

Local: Engenho Central

terça-feira, 18 de maio de 2010

Virada Cultural em Piracicaba: Quarteto Opus4 e Educativa nas Letras apresentam-se na Rua do Porto!

A equipe do EDUCATIVA NAS LETRAS e o quarteto de cordas OPUS4 apresentam-se no Parque da Rua do Porto, neste domingo, dia 23, às 10 horas da manhã, na Virada Cultural Piracicabana. Ao lado do "ônibus biblioteca" - acervo volante da Biblioteca Pública Municipal de Piracicaba, que vai estar estacionado dentro do Parque da Rua do Porto -, o EDUCATIVA e o OPUS4 brindarão o público com uma série de textos e músicas para lá de especiais. Em meio a declamações de poemas, contação de histórias, leituras de crônicas e contos que tem a música como temática, os presentes poderão ouvir também uma programação musical preparada com muito esmero e dedicação.

Em primeira audição pública, o OPUS4 abre no domingo uma série de recitais que deverão acontecer ao longo do ano de 2010.



Juntos há alguns meses, o grupo reúne 4 músicos (e bons amigos!) que tem como objetivo o estudo sério - portanto, sistemático e constante - da música de câmara. Além disso, todos os integrantes sabem também da necessidade e do dever social de apresentarem-se para plateias que, por motivos variados, não tem acesso às tradicionais e muitas vezes caras salas de concerto. Por conta disso, o grupo já tem agendada também algumas apresentações em instituições sociais da cidade.

Formado por Helgo Paul Ackermann (violino), Paulo Celso Souza (violino), Alexandre Bragion (viola) e Paulo Bandel (violoncelo), o OPUS4 apresentará no domingo um repertório que vai de Handel a Henry Mancini - passando por peças de Haydn, Mozart e por outras composições populares mais conhecidas do grande público.

Você não pode perder!

Haydn na Rua do Porto? Só na Virada Cultural Piracicabana!

Esperamos você!

quinta-feira, 13 de maio de 2010

“HISTÓRIAS DE CANÇÕES”: SHOW DE WAGNER HOMEM E ROGÉRIO SILVA REVELA AS HISTÓRIAS QUE ESTÃO POR TRÁS DAS MÚSICAS DE CHICO BUARQUE.


Num espetáculo que vem arrancando aplausos emocionados do público e comentários mais do que positivos da crítica, Rogério Silva (violão e voz) e Wagner Homem (biógrafo e grande amigo de Chico Buarque, também responsável pelo site oficial do compositor e autor do livro "Histórias de Canções" – um dos mais vendidos em 2009) contam as histórias relacionadas às canções de Chico – dando um passeio por sua obra e pela relação dele com seus parceiros, como Tom Jobim e Vinicius de Moraes.

No show, além de se deliciar com as composições, o espectador viaja pela história recente do Brasil, através dos casos narrados. O espetáculo é entremeado com projeção de fotos e documentos sonoros, alguns raros, como trechos da entrevista que Chico deu ao jornal “Última Hora,” como sendo Julinho da Adelaide – pseudônimo que criou para driblar a censura -, ou o áudio do exato momento em que nasceu a canção "Vai Passar".

“Histórias de Canções” acontece nesse próximo sábado, às 20h, na cidade de INDAIATUBA – com entrada gratuita.

Sobre esse espetáculo e sobre outras tantas outras curiosidades, o EDUCATIVA NAS LETRAS CONVERSOU, COM EXCLUSIVIDADE, com Wagner Homem – em entrevista rápida e que você confere abaixo:

EDUCATIVA: Wagner, o show "Histórias de Canções" - como o próprio nome já diz - apresenta um resgate maravilhoso das músicas de Chico Buarque e das histórias que envolvem essas músicas. Foi difícil fazer uma seleção das histórias que seriam contadas no show?

WAGNER HOMEM: Foi difícil, sim. Porque no livro há 133 histórias e seria impossível fazer um show cantando e contando todas elas. Escolhemos aquelas que tinham histórias mais curiosas e que cobrissem os diversos aspectos da carreira do Chico, como sua relação com parceiros, a resistência à censura etc. Houve também a preocupação de escolher as canções de maneira a cobrir os diversos momentos de sua obra.

EDUCATIVA: Dá para antecipar, rapidamente e sem estragar as surpresas do show, uma das histórias que vocês contam durante a apresentação? Há alguma história que provoca ou mexe com o público de forma mais intensa?

WAGNER HOMEM: Há momentos que comovem o público (e a mim também), como a história da música "Angélica" – que descreve a luta da estilista Zuzu Angel, que passou anos de sua vida tentando localizar o corpo de seu filho, morto nas dependências da Aeronáutica durante o regime militar. Ela própria foi posteriormente morta num estranhíssimo acidente de carro. Mas a maior parte do show é pra rir e, felizmente, as pessoas riem, e muito, quando ouvem trechos da entrevista de Julinho da Adelaide. Aliás, essa e outras histórias podem também ser lidas no site www.historiasdecancoes.com.br.

EDUCATIVA: O show "Histórias de Canções" vem conquistando elogios da crítica e de jornalistas respeitadíssimos - como Roberto kotscho, por exemplo. Apesar de a crítica sempre ser imprevisível, dá para apontar com segurança qual é ou quais são os pontos altos desse espetáculo: as canções, as histórias ou, como acreditamos, a mistura delas?

WAGNER HOMEM: Acho que é o binômio histórias e canções, ou seja, a mistura delas – como você diz. Há sempre muita curiosidade e, às vezes, inverdades e boatos a respeito das canções. Tanto o show quanto o livro tentam satisfazer essa curiosidade e esclarecer os fatos, sempre de forma leve e divertida.

EDUCATIVA: O espetáculo nasceu do lançamento de seu livro sobre Chico, não é? Aliás, na noite do evento haverá também uma sessão de autógrafos programada. Hoje, no entanto, o show eclipsou o livro ou um acaba divulgando o outro? Há no show alguma história que não esteja no livro?

WAGNER HOMEM: Eles se complementam. No livro você tem muito mais histórias, enquanto que no show há a vantagem de se ter música ao vivo e uma série de documentos sonoros que enriquecem a apresentação. Valendo dizer que todas as histórias que conheço estão no livro.

terça-feira, 11 de maio de 2010

Ana Cristina César: poesia e dor

"Olho muito tempo o corpo de um poema
até perder de vista o que não seja corpo
e sentir separado dentre os dentes
um filete de sangue
nas gengivas."



Ana Cristina Cruz César - ou simplesmente Ana C. - nasceu no Rio de Janeiro, em 2 de junho de 1952. Em 1959, então com 7 anos de idade, teve suas primeiras poesias publicadas no “Suplemento Literário” do jornal carioca a “Tribuna da Imprensa.” Na juventude, licenciou-se em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC). Mestre em Comunicação pela Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro, recebeu em 1980 o título Master of Arts, pela Essex University, na Inglaterra.

Mais do que uma acadêmica de carreira promissora, Ana C. viria a tornar-se um dos maiores ícones da poesia contemporênea brasileira. Ensaísta, crítica de literatura, tradutora e poeta - Ana desafiou o curto tempo de vida que teve e deixou ao Brasil e ao mundo uma poesia marcada por uma verve feminina que nada tem de pacificadora dos ânseios e das dores humanas.

Poeta de lirismo medular, intraviceral, Ana Cristina César trouxe para a vida o mesmo mundo sem saída que, por vezes, se mostra fechado em sua poesia. Tradutora primorosa de Sílvia Plath, Ana C. seguiu em vida os passos trágicos daquela que pode ser apontada como uma de suas maiores influências literárias. Assim como Plath, Ana - aos 31 anos - também pôs termo a vida. Como herança, deixou-nos uma obra forte e, por que não dizer, cheia de um frescor literário que ainda muito tinha a se orvalhar.

No próximo sábado (dia 15, às 10 da manhã) e domingo (às 21 horas), o EDUCATIVA NAS LETRAS apresenta um especial sobre a poesia de Ana C. Imperdível para quem quer conhecer um pouco mais de poesia brasileira de verdade.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Lançamento de livro funda novo cenário editorial em Piracicaba!


A cidade de Piracicaba viveu, nesta última quinta-feira, dia 6 de maio, uma das mais especiais noites culturais de 2010: o lançamento do livro "ILOGIC@MENTE," de Newman Ribeiro Simões. Ao som de um conjunto formado por integrantes do grupo FALANDO DA VIDA, a noite de autógrafos contou com um público de mais de 300 pessoas - entre amigos, escritores piracicabanos, leitores e imprensa - que lotou o charmoso casarão da sede social do Clube de Campo de Piracicaba.

Mais do que uma festa de lançamento de um novo livro, a noite de autógrafos de Newman Simões fundou definitivamente um novo marco na literatura piracicabana: a inclusão de uma grande editora na cena literária de Piracicaba - antes então marcada apenas por publicações independentes e de caráter praticamente artesanal.

Estampando um projeto editorial arrojado e de extremo apuro profissional, o "ILOGIC@MENTE," de Newman Simões - publicado pela Jacintha Editores - apresenta-se como obra que nada deve às mais cuidadosas publicações de casas editoriais da capital. Tanto é que, no próximo dia 14 de maio, Newman estará lançando o seu "ILOGIC@MENTE" na capital paulistana - mais precisamente no Shopping Villa-Lobos, ao som da fantástica Traditional Jazz Band!

Nós, do EDUCATIVA NAS LETRAS, irmanados aos colegas da imprensa e ao grande público que compareceu a mais esse lançamento da Jacintha Editores, saudamos ao mestre Newman e aos editores da Jacintha Editores! E desejamos, a partir dessa jornada iniciada por vocês, que a produção editorial em Piracicaba, de maneira geral, se espelhe nesse trabalho e alce voos literários e editoriais cade vez mais altos e profissionais!

(fotos e slides: Tânia Bragion)

segunda-feira, 3 de maio de 2010

LEON ELIACHAR: MESTRE DO HUMOR!


O EDUCATIVA NAS LETRAS do próximo final de semana (8 e 9 de maio) tem como temática a vida e a obra de uma dos mais importantes cronistas do Brasil, o mestre do texto de humor: Leon Eliachar!

Nascido na cidade do Cairo, Egito, Leon Eliachar mudou-se ainda pequeno para o Brasil - vindo a morar na cidade do Rio de Janeiro. Por conta disso, dizia-se um Cairioquês da gema! Contemporâneo do Barão de Itararé, outro mestre da crônica bem humorada, Leon Eliachar iniciou-se na carreira jornalistíca aos 19 anos - vindo a trabalhar no jornal "Última Hora." Lá, manteve durante anos uma coluna intitulada "Penúltima Hora" (uma óbvia brincadeira com o nome do referido jornal).

Em 1956, foi laureado com o primeiro prêmio ("Palma de Ouro") na IX Exposição Internacional de Humorismo realizada na Europa — por sua definição de humor e por uma historieta intitulada "O Judeu" : sobre a qual afirmou ter podido escrever sem parecer anti-semita, pois ele próprio era judeu.

Leon Eliachar foi assassinado na cidade do Rio de Janeiro, em 29 de maio de 1987. Segundo o noticiário da época, a mando de um rico fazendeiro paranaense com cuja esposa o autor vinha mantendo um romance.

Divirta-se abaixo com a definição de humor, de Eliachar, e com algumas perólas de seu dicionário de bolso:


Definição de Humorismo:

- Humorismo é a arte de fazer cócegas no raciocínio dos outros. Há duas espécies de humorismo: o trágico e o cômico. O trágico é o que não consegue fazer rir; o cômico é o que é verdadeiramente trágico de se fazer.

Dicionário de bolso:

- ADIAR - é essa atitude que estamos sempre tomando daqui a pouco.
- BUZINA - é esse ruído que irrita o motorista da frente quando o de trás já está irritado.
- CABOTINO - é esse sujeito que consegue transformar qualquer assunto numa auto-biografia.
- TÉCNICO - sujeito que se especializa em não entender nada de apenas uma matéria.

sábado, 1 de maio de 2010

Música e Depressão


A propalada musicoterapia, tão em voga nos últimos anos, acabou - infelizmente - perdendo a força nos dias atuais. Apesar da boa intenção de alguma faculdades ou mesmo universidades em criar cursos de especialização e até graduação na área da terapia musical, os poderes medicinais e terapêuticos da música sofreram duros golpes quando os céticos de plantão passaram a contestar as afirmações e sugestões presentes no polêmico livro "O Efeito Mozart" - o que erroneamente acabou relegando toda a história da terapia musical a uma só obra.

Se a música de Mozart produz efeito ou não, o fato é que - segundo estudos publicados pela Biblioteca Cochrane - para alguns pesquisadores a música pode, sim, reduzir os efeitos da depressão. Em revisão sistemática publicada pela Cochrane - organização mundial dedicada ao estudo das intervenções terapêuticas - quatro entre cinco pesquisas realizadas por essa organização demostraram que a música foi a terapia que, associada ao tratamente médico, mais produziu efeitos benéficos em seus pacientes (que, obviamente, não foram submetidos apenas ao efeito da música de Mozart).

A relação entre música e cura, no entanto, antecede em muito a qualquer pesquisa científica. A trajetória da música no campo da terapia e sua relação com o tratamento da depressão, por exemplo, alcança os tempos quase imemoriais - para o espanto de muitos céticos - dos textos bíblicos. Em seu livro "Depression and Music," M.J van Lieburg lembra que já o antigo testamento nos apresenta um dos primeiros casos (arquetípicos ou não) de cura das desordens mentais por meio da música: a história do perturbado rei Saul e de sua cura pela música de David.

Estabelecendo uma relação interessante entre a origem da depressão num indivíduo e sua possível relação com a presença de desarranjos ou insatisfações desse indíviduo para com o seu próprio físico, Lieburg nos remete ao poder de cura que a música possivelmente pode ter exercido no espírito de gênios como Mozart e Beethoven - figuras de excêntrica genialidade e que, em muito, podem ter se beneficiado dos efeitos terapêuticos da música que produziam (uma vez que a música, sob esse olhar, pode ter evitado uma descida completa desses artistas ao mundo da loucura total ou da demência absoluta).

Publicado em 1990, e ainda sem edição conhecida em língua portuguesa, "Depression and Music" faz um importante resgate da história da relação entre música, depressão e cura. Difícil de se encontrar em livrarias não especializadas, com certeza a obra de Lieburg pode ser achada em sebos virtuais (internacionais ou em alguns nacionais). Para quem se interessa pelo tema, fica aqui a dica - e seguem abaixos as especificações desse livro.

Depression and Music.
Prelude to a historical theme.
M.J. van Lieburg. Hardcover: 1990.
ISBN 90 5235 003 5